quinta-feira, 31 de julho de 2008

Arremedos.

Quando o tempo é guardado nunca é por inteiro. São pedaços de retalhos costurados que se traduzem em dizeres, escritas, sonhos, gestos e pontinhas de esperança. Esperança como aquele finalzinho do lápis de cor azul que já cabe na palma da mão. São pedaços que por si só são só pedaços. Mas se houver o tal do arremedo formam o tempo das lembranças. Usam-se colas. E delas, podem se formar abismos ou jardins.
É perigoso escrever porque o tempo que foi guardado volta a pairar dentro da gente. E se escreve para guardar o tempo. Assim mesmo, numa confusão absurda de horas, pessoas e palavras. Mesmo que doa. E dói.

13 comentários:

Miss WC disse...

Eu que o diga. Mas a dor é sinal de que o tempo passa e que o profeta das horas há de voltar e atormentar meus sonhos.
Não me importo se de mim restar cinzas se a fogueira da vida for bela e alta!


Ai ai morg, queria ter essa personalidade para escrever. Como vai, menina do desenho?


"Para que sejas tão bonito, quanto a cara do meu filho, tempo tempo tempo tempo.."

Violeta disse...

E mesmo que cole, nunca mais fica igual........
Eu adorei !
.
=*

Miss WC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bárbara (B.) disse...

Ah e como dói...

Volta com o estalar, moça. Seu cantinho, abandona não.


Beijo meu.

The Thinker disse...

Olá menina !

Escrevestes o que permeia esse Blog. E o significado do msm...?!

sabes o que penso, em relação ao Estalar os Dedos.

Bjaoo GIGANTE !!!!!!!

T+v!

www.think.blig.com.br

ve se coloca para comentar so com nome e endereço de site, sem precisar logar.

MCI disse...

Só pra eu entender: ESTE, agora, é o seu planetinha, Morganna?
Sobre o post: é preciso cuidado em relação ao que a gente guarda e, ainda, sobre onde o guardamos!
As gavetas devem estar sempre entreabertas; nunca fechadas por completo.
Porque as coisas conhecem o tempo de vir à tona novamente... E nós, querida, estamos à mercê delas!
Te adoro, mocinha!
Beijos cósmicos!

Be disse...

Morganna, querida.

Um comentário sobre sua singularidade:
seja qual for o espaço que você ocupe, preencha, inunde,
será, inevitavelmente,
acolhedor e mágico.

Isso vem de você,
uma doçura inebriante
que abraça e faz sentir bem.

Muita saudade de você.

aquelacarta disse...

e a Morganna cada vez mais linda e inteligente.
flor, beijos e a-do-rei o blog.
:****

Verônica Martinelli disse...

E como dói!
As vezes são só palavras não ditas, outras vezes são palavras que deveriam ter ssido ditas no lugar de outras, outras vezes são gestos errados que mudaram tudo. As vezes são pessoas estrelas e cometas...mas sempre e pra sem é só saudade.

Tempo, desapareça!


Beijos

Luc's. disse...

Não-escrever é mais perigoso. Com certeza.

Gostei daqui também.
Valeu a visita.

Lucas.

Lara disse...

cuidado, moça, falando assim, com tanta graça, a gente acaba se apegando ao pouco de um comentário. Rs.

;*

Narradora disse...

Um texto lindo e uma grande verdade.
Acho que cada um tem a sua colagem de momentos e ela é mesmo parcial.
O tempo que volta às vezes é remédio.
Bjs

clubedosintensos disse...

arremedos...
gostei.

sempre vai doer.
E se não dói?
Não foi?