segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Ontem outrora, Outono!

Lembro de agosto porque foi um dos meses mais fodidos que vivi antes de deixar-te. Eu lembro das meias brancas que eu usava e lavava-as todos as noites para que o barulho das gotas d' água que escorriam viesse me tirar o sono. Do silêncio ensurdecedor que eram aquelas tardes de puro sadismo que Deus havia me arranjado.
Tento me esquecer das tardes, elas eram como engrenagens de ferro que maceravam-me o tronco que se reconstituia à noite. E era nessa boca que eu me libertava, passava as tardes todas engolindo seco o áspero desprazer da tarde e não me arrependia por conta do orgasmo noturno. As manhãs de agosto eram o mistério, as peripécias da vida escolhiam-na para tomar um café. Eu não existia nas manhãs, dissolvia à tarde e reconstituía a noite.
Tive que morder fios de aço para permanecer no medíocre agosto. Enrugava a face, cravava os dentes e o aço descia garganta abaixo. Depois desse exercício diário, era a vez de sujar meu corpo no seu para fingir a sua felicidade. Não houve um dia sequer naquele maldito calendário em que estive contente por sua causa.
Agosto e você me ensinaram a não ter o menor medo da solidão. Exceto as noites - que me ensinaram a amar o outono.

Clarissa

8 comentários:

abigale disse...

uau. que texto forte e bonito. partilho contigo uma letra de musica que gostaria de poder dedicar a alguém, mas não o posso fazer.

I heard he sang a lullaby
I heard he sang it from his heart
When I found out thought I would die
Because that lullaby was mine
I heard he sealed it with a kiss
He gently kissed her cherry lips
I found that so hard to believe
Because his kiss belonged to me

How could an angel break my heart
Why didn't he catch my falling star
I wish I didn't wish so hard
Maybe I wished our love apart
How could an angel break my heart

I heard her face was white as rain
Soft as a rose that blooms in May
He keeps her picture in a frame
And when he sleeps he calls her name
I wonder if she makes him smile
The way he used to smile at me
I hope she doesn't make him laugh
Because his laugh belongs to me

How could an angel break my heart
Why didn't he catch may falling star
I wish I didn't wish so hard
Maybe I wish our love apart
How could an angel break my heart

Oh my soul is dying, it's crying
I'm trying to understand
Please help me

How could an angel break my heart
Why didn't he catch my falling star
I wish I didn't wish so hard
Maybe I wished our love apart
How could an angel break my heart

RafaelGuimaraes disse...

lol

porque é essa minha artista do CA
AUEHIAUHEIAUEhuIAE.
=)

Morganna disse...

eu vou desenhar a capa do teu livro. /digologo.

Marcelo Mesquita disse...

Um agosto despedaçado!

Hosana Lemos disse...

nossa, profundo...

"Enrugava a face, cravava os dentes e o aço descia garganta abaixo."
é ruim néh?!
=/
bem sei como éh...

bjos

renata disse...

-
acho mesmo que é preciso deixar passar o outono. e fazer-se flor.

beijo.

Talita Prates disse...

É lindo aqui.
Voltarei sempre que puder.
Bjo, e paz.

Roberta Blá disse...

nossa que lindo seu texto,me identifiquei com vários fragmentos dele...
adorei o seu blog!!!!
teh maais flor
beeeijos